Liliane Brito

Viagem à Índia 2018

Foi dada a largada para mais uma nova aventura na terra sagrada, a mãe Índia!
Viajar pela Índia é daquelas experiências únicas na vida, onde o novo acompanha cada instante trazendo ao aprendiz novas perspectivas.
Cada passo vivido nesta terra é acompanhado pela força da transformação, o que torna impossível sair a mesma pessoa no final da viagem.
Uma das coisas importantes para aproveitar melhor é preparar o corpo, a mente e o coração, abrindo espaço para o novo, para as surpresas, para o diferente. Reconhecer as limitações internas e ir além destas, desfazendo as fronteiras do contato exterior com a profundidade do mundo interior, é uma oportunidade de descobrir um novo Ser.
Sobre a experiência da Índia Jean Claude Carriérre escreveu em Índia, um olhar amoroso:

"Outra atitude, mais delicada, consiste em esquecer por alguns dias, ou algumas semanas, nossa crença, profundamente estabelecida, na racionalidade do mundo. Se nos faltar ingenuidade, se esquecermos de ver e ouvir, se quisermos tudo explicar e compreender, trazer todo o espetáculo para a nossa lógica, compará-lo, avaliá-lo, ficaremos rapidamente desgarrados, decepcionados, até exasperados. A Índia observa a si mesma, analisa a si mesma, mas não explica a si mesma".

Na organização para esta viagem, na seleção do que levar e deixar, retiro da bagagem o casaco do desejo, os óculos das expectativas. Escolho sapatos confortáveis para facilitar a retirada e poder caminhar livremente para sentir abaixo de meus pés o templo que estou presenciando. Carrego na bolsa papel e caneta para anotar palavras que supostamente possam representar um pouco do momento presente, que será indescritível.
Respiro fundo na intenção de ampliar a percepção dos sentidos, para que eu possa enxergar além e através das formas, para que eu possa ouvir e ser embalada pelos sons, para q eu possa sentir e penetrar na força do mistério e ir além, além de mim mesma e receber os saberes da mãe Índia .
Neste roteiro a próxima parada é Auroville (terra do despertar). Comemorar os 50 anos deste lugar, e ainda junto o aniversário da Mãe (Mirra Alfassa), mestra do Yoga Integral, é mais um dos presentes divinos.
E termino com mais uma passagem de Índia, um olhar amoroso:

Sabemos perfeitamente que toda viagem é ilusão e que todo relato de viagem é mentira. Não vemos acreditamos ver, como aliás, enganadora é a vida por sua própria natureza. É por isso que São João da Cruz escreveu que não viajamos para ver, mas para não ver - quer dizer, para tentar alcançar outra coisa além da superfície lisa e fugidia das coisas, para ver-nos à luz do além.

 

 

 

 

 

Please reload

Please reload

Encontre por Tags